segunda-feira, 17 de maio de 2010

E nove meses depois....

Pari um relação cheia de pequenas nuances:
Noites de saquê e sushi segurando um ao outro pra não rolar escada a baixo;
Pegar no sono enquanto ele passa horas no banho;
Fazer café da manhã sempre igual, sempre especial com a mesa arrumada pra dois;
Curtir um cineminha 3D;
Ser surpreendida no meio da tarde, em pleno trabalho com um lanche bem especial (foi só uma vez, mas não vou esquecer jamais);
Assistir uma comédia romântica juntinhos no meio da tarde de um sábado chuvoso;
Ir pro mesmo bar todo fim de semana, encontrar as mesmas pessoas e escutar as mesmas conversas (lógico, reclamamos toda vez, mas dá pra ficar sem ir lá não, tá doido!);
Ficar horas rolando na cama, brigando pra ver quem vai fazer massagem no outro, fazer travesseirinho dele; implorar por uma mordidinha no pescoço;
Chegar em casa às quatro da manhã e ficar de papo-furado até não aguentar mais de sono;
Chamar pra ir embora uma vez, duas vezes, três vezes, quatro vezes até perder a paciência e falar alto e em bom tom, VAMOS EMBORA, AGORA!
É uma lista interminável de detalhes que faz parte de minha vida agora, não lembro mais nem como era antes, sei que agora tudo está tão bom, tudo está tão gostoso.

Deliciosamente viva...

Hoje o dia teve gosto de caqui, hummmmmmmmmmmm, saboroso, leve e doce.
Depois de um fim de semana sabor hortelã, aromático, calmante, delicioso.
Apreciando sabores, aromas e amores...Vida salada de frutas é tudo que desejo.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

A falsa ideia de identidade...

            Você constrói ao longo de sua vida uma identidade, vida própria e significativos únicos para cada detalhe da sua existência, uma casa com a sua cara, um visual diferenciado e principalmente, princípios que te fazem ser respeitado e admirado, amado, as vezes, outras odiado, sabemos que tudo isto requer uma alta dose de sacrifícios e prazeres, de altos e baixos, tudo para manter a autoestima elevada, só que a vida não cansa de nos preparar armadilhas que na maioria das vezes nos pega, é, a vida é uma caixinha de surpresas e sempre esbarramos com desafios que desconstrói tudo, quando menos esperamos, aquela velha ferida, quase, cicatrizada, é remexida, e sangra e desequilibra tudo o que passamos tanto tempo construindo, equilibrando.
           É assim pra todos, talvez, a base de toda sabedoria, das construções e destruições que o tempo nos impõe crescemos e amadurecemos.
            Hoje me sinto tão despreparada, sei que minha personalidade forte, meu orgulho e minha coragem foram grandes aliados e me permitiram ir mais longe, mas me sinto tão fragilizada, não sei lidar bem com a insegurança, e hoje estou insegura, não sei por onde anda minha solidez, apesar de muitos não acreditarem, tive muitas poucas dúvidas, e sempre adorei enfrentar leões, sempre meti a cara, nunca duvidei de mim, agora só quero ficar tranquila, quieta e sem pensar, esvaziar os pensamentos.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

 O AMOR É UMA OPÇÃO OU UMA FATALIDADE?