quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Os sete pecados...

                               E sete anos se passaram, acostumei, acomodei, adorei e descuidei. O que podia fazer se a cada dia estávamos alí, presentes de corpo e alma, nem notávamos que a vida exigia mais, sempre mais, cada vez mais.... As brigas aconteciam, mas a vontade de estar juntos era maior, sempre buscávamos reencontrar o caminha de volta e como ele era tão certo, descuidamos.... Olhando para trás o que parecia tão perfeito, hoje me parece um monte de erros que inevitavelmente nós colocariam onde estamos agora: longe um do outro.
                               Estou bem e estou ruim, estou frustrada e aliviada, confusa e  reencontrada, minha cabeça nunca esteve tão confusa, aguardo o tempo passar e mostrar qual caminho seguir.
                               Acordo preguiçosa e sem pressa, estou sentindo melhor o gosto da água, a energia da casa, sentindo o silêncio que vai curando a minha alma, tantas vezes te chamei a este silêncio, a um mergulho interior, mais isto não significa nada para você, não temos muito em comum, quase nada. 
                               Quem são os teus poetas preferidos?, Teus cineastras preferidos? Teu cheiro preferido? Tuas rosas preferidas? Teu livro mais marcante? Teus heróis nacionais? Qual o lugar que você precisa conhecer antes de morrer? Quais pinturas te emocionam? Nada disto te representa. As diferenças estreitaram e nos separaram.... Resumindo incompatibilidade de gênios. Como assim? Só isto a dizer? Terminou e ponto final? Exatamente assim.....