quarta-feira, 30 de junho de 2010

Aconchego...

O menino veio de longe e me contou toda sua história, ou parte dela, não tenho como saber, ficou nu na minha frente, sem o menor dos escrúpulos, contou-me seus pecados e dos seus, com carinha de anjo assustado, tentou me falar palavras doces, mas não as conhecia, compensando com gestos amorosos e abraços apertados.
E assim foi ficando.


Nunca sozinha....

Noronha é assim, não precisa de boa máquina, boa fotógrafa ou mesmo de um bom foco, em Noronha é só clicar e a natureza está ali linda e exuberante para ser registrada, lembro-me bem de caminhar pela ilha e sentir-me emocionada a cada olhar, o pôr-do-sol caiu por todos os lados, tudo fica belo, todos ficam dourados. 
Foi só olhar pro céu e elas bailaram pra mim....

Não quero sair da gruta......

Acreditem ou não, aqui me sentia em um gruta no Tibet, um hermitão, divagando sobre minhas conclusões sobre a vida, de repente, entro no blog da amiga R. e lá esta meu endereço como referência, choquei!!!! Mas tudo bem, o risco eu sempre corri, de repente, amiga da amiga R diz que não comenta nestas águas porque me sente muito profunda, PROFUNDA? EU? LOGO EU. 
Vocês sabem, geminianos são tão profundos quanto um pires, não tanto pela intensidade, mas pela rapidez com que muda de opinião, mas tudo bem. 
Até que amiga R. começa a passar o endereço do seu blog, que tem referência do meu, para todos os meus amigos mais próximos, que convivem comigo e com meu amorzinho, nem a ele falei que tinha blog, coisas de geminianos, adoro o clima de ter segredos, de nunca contar tudo, de nunca me revelar, mas uma das muitas diferenças entre eu e minha amiga R. 
Amiga não sei como você vai processar esta postagem, afinal, há um tempo não conseguimos nos entender, e sempre estamos falando linguagens diferentes, até nos estranhando em público, mas pisando em ovos, te digo, foi assim que me senti, só um relato, não uma crítica. 

quarta-feira, 23 de junho de 2010

O que há de novo no céu?

        No momento estou arrumando as malas pra passar o São João em Campina Grande, fazendo um jantarzinho e navegando nestas águas, depois de passar toda a tarde ajudando a cuidar da minha sobrinha, acredite S. adoraria ter mais tempo pra você, para a vizinha que esta sempre cobrando minha presença e tantas outras pessoas queridas que estão sempre me cobrando atenção.
           Meu bem já está me esperando, dá até uma culpa de ter sempre tempo pra ele, e olhe que tento conciliar, mas já é parte da minha rotina. 
               Se sou negligente com algumas pessoas é questão de momento. Entendam.
            Leio os blogs de pessoas tão normais que me inspiram, que me enchem de alegria e me fazem voltar a ter a alegria de escrever, estou separando textos da minha adolescência, relendo e buscando lembrar a pessoa que já foi rica em criatividade e acreditava na força das palavras.

terça-feira, 22 de junho de 2010

  
     Faça você também Que 
  gênio-louco é você? Uma criação de O Mundo Insano da Abyssinia  

Aceitação....

Estranho toda esta calmaria, não há paixão, não há pressa.
Nada peço e ele me dá tudo que quero, até parece adivinhar.
Difícil entender o que é tão simples.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Dramas e tragédias....

Este fim de semana estive em Maria Farinha, ficamos em um belo resort e fiquei chocada ao ver toda a sujeira que o rio levou até aquela bela praia, caminhamos em meio a tanto lixo e entulhos que fui tomada pela sensação  de impotência, me senti chocada, paralisada diante daquela tragédia.
E hoje ao assistir o Jornal do meio-dia me deparei com as cenas das tragédias em Alagoas e Pernambuco por causa das chuvas, confesso ter ficado até um pouco indiferente, MAIS UMA TRAGÉDIA, triste e ao mesmo tempo já conformada. Algo já anunciado? tragédias que todos os anos vem e vão, não tenho a menor ideia como aquelas pessoas sobreviveram, se já levantaram ou mesmo terminaram o luto dos que não sobreviveram, e já estão caindo de novo, anestesiados, conformados, sei lá....Momentos que me libertaram um pouco do meu universo, dos meus dilemas, das minhas "necessidades". O que me levou após o almoço, a assistir ao filme Chico Xavier, precisava tanto de alguma palavra de conforto que me submeti a assistir a um filme pirata, gravado dentro do cinema, com uma imagem horrorosa que surgia por cima de um pedaço de banco de cinema e a cabeça de uma mulher, que no melhor do filme coçava a cabeça, mas, deixando pra lá os pequenos detalhes, assisti a vida de um grande homem, incrível, como a imagem da caridade e a beleza de uma vida dedicada a ajudar aos que sofrem pode causar em nós, humanos, mortais e incapazes de sair do nosso egoísmo.
Comove, emociona e faz questionar o tanto que deixamos de fazer, o quanto deixamos de agradecer, pra vivermos insatisfeitos. Pra mim pouco importa se é verdade ou não a vida sobrenatural as questões pós-morte, o que me importa é a grandiosidade dos ensinamentos, a importância do bem, a importância de evoluirmos com seres humanos, grandes na alma, grandes no coração.
Será que um dia conseguirei ser a pessoa que sonhei, conseguirei sair deste ostracismo e viver a caridade, ser mais, desejar menos?

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Formas em formação...

Demorou. Já era....bem simples assim, forme-se novas formas, sobrevivemos e seguimos adiante... Confesso que andei fingindo que não via, deixando arestas pra passar ilesa, foda-se com seu egoísmo delirante, desculpe-me (ou não) se lembrei que a culpa é, exclusivamente, tua, se lembrei que apenas estais colhendo o que plantou. Não sei por que ainda me pedes conselhos, sabes o quanto posso ser cruel, sabes que não acredito na tua inocência, então não me venha choramingar, levanta a cabeça e segue, não deixa que te apontem o dedo, toma as rédeas do teu destino, chega desta lenga-lenga, não somos vítimas, participamos ativamente de cada processo, muitas vezes, apostando na impunidade, mas seguimos e sobrevivemos.

Deliciosamente Eu.

Hoje acordei calmamente, sem horários a cumprir, sem despertadores, tomei um banho demorado e cuidei de mim, do meu ninho, do meu jardim...
A maturidade é cruel, nos rouba prazeres tão simples, nos acelera, toma de assalto nossa individualidade.
Quantos prazeres infantis, leves e essenciais ao nosso bem estar deixamos pra trás por falta de tempo?
 Momentos EU...Sentindo-me inteira...
Estou cansada da insatisfação alheia. Não me aluguem, por hoje não.