quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Ao tempo....

Lembro do tempo que escorreu por minhas mãos, que me trouxe resposta e um tanto de outras perguntas, já foi o tempo em que podia me dar ao luxo de desejar que o tempo passasse, agora só quero que ele rasteje, passe bem devagar, sem grandes danos...
Pouco importa o tempo que passou e muito menos os que estão por vir, hoje quero sentir o tempo presente, sabe-lo aproveitar, escrever, cantar, dançar, interagir, conviver, tentar o meu melhor, que espero ainda esteja por vir....
Ao homem que diz e não faz, ao tempo que faz e não diz. Contradições que só o tempo explicará...

Voltas dou e sempre chego ao mesmo lugar...ao templo das incertezas, tentativas e erros, tentativas e acertos, sem palco e sem platéia vou levando o tempo que me resta...


segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Vento me leve....

Certa de que não sei quem sou, flutuando no meio de tantas influências e convergindo com todos os sentidos me permito não saber quem sou... Nem uma ideia a este respeito, sei que se tivesse nascido no oriente milhões de outras orientações teria seguido, e se assim seja como posso me responsabilizar pelos meus desejos? Não sei onde os ventos me levam, mais tento segurar o prumo e primo pela beleza de me sentir feliz e livre de tantos conceitos e preceitos. Certa de que não sei nada, busco, busco, busco e se achei não sei.....

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Lindas paisagens...

Hoje sai bem cedo de casa, o dia ainda preguiçoso, as pessoas caminhando sem pressa nas ruas, o sol desperta os sentidos, dispersa a tristeza e enche a alma de esperança. O mar se confunde com o céu e me chama a ser feliz.
No meio do caos e de tantas obrigações me sinto contemplativa...Assim estou...
Paro no meio do nada e me pego contemplando paisagens, o rostinho de uma criança, o balançar de uma árvore, as cores e tonalidades do entardecer, a assim vou alimentando a alma com as paisagens...
Sabores, cores, aromas, amores são minhas prioridades...
Até pouco tempo atrás me peguei enlouquecendo com responsabilidades e uma corrida desenfreada em ganhar grana, as obrigações me consumindo e eu me lamentando, e deixando para lá coisas que me dão prazer e me equilibram como ler um bom livro, assistir bons filmes, saborear um entardecer, caminhar na praia, sem sentir fui deixando pra trás coisas importantes e sobrecarregando meus ombros.