quinta-feira, 2 de março de 2017

Viva o amor, enquanto ele não acaba.....

                   Sei que é piegas, mais o amo hoje, depois de perdê-lo, como nunca o amei antes, depois de quatro meses a saudade tá doendo e me sufocando, me dilacerando por dentro, e o perdi... Seres desumanos somos, incapazes de lidar com os outros e idolatrando fantasmas de pessoas vivas, agora amo o homem que me fez feliz e não existe mais, amo o homem que se acalmava no meu colo e  que agora enlouquece com a minha voz.  É realmente bem piegas, não conhecia esta sensação, depois de tantas leituras, músicas, poesias, novelas, filmes nada me preparou para isto, um misto de orgulho ferido, pane total, fragilidade quase mortal, queda-livre em um vazio absoluto. Ufa! a boa notícia  é que depois de tudo isto somos capazes de sobreviver, praticamente ressurgir das cinzas, vontade louca de ser melhor, de se amar, de fazer tudo que queríamos antes de tentar ser dois. 
                    Será que hoje o seu beijo seria o melhor de todos os outros milhares que você me deu em sete anos, quantos beijos trocamos em sete anos? Seria demais mais um? Será que a terra tremeria se fossemos pra cama novamente?  Ou seria como nas terças depois de um dia de muito trabalho, de um episódio chato da novela, ou depois de comermos até ficarmos lentos?
                  Te amei tanto, ainda te amo tanto, mais não estamos mais juntos. Ponto final. Somos tão piegas, tão vulgares, somos tão incompetentes em termos de amar, mesmo assim quero morrer tentando.....

Nenhum comentário: